Artigo: A Verdadeira Igreja

Alguém defendeu fervorosamente que a verdadeira Igreja de Cristo é a igreja católica e que não há outra, porque ela é a primeira, a mais antiga e vem desde os apóstolos. É verdade. Está correto. A Igreja de Cristo é aquela que é una, santa, católica e apostólica. Só existe uma igreja, porque a Igreja é o corpo de Cristo e Ele é o único Cabeça. Há um só Deus, um só mediador, um só corpo, um único cabeça, um só rebanho, um único Pastor.

Porém, a igreja católica apostólica que é a verdadeira Igreja, não tem uma sede oficial e nem um bispo que preside sobre toda ela. Ela é composta por todas as igrejas locais, fiéis, espalhadas por toda a terra. Nenhuma das igrejas locais é maior que outra e nem tem mais autoridade que outra, mas são todas exatamente iguais. Umas maiores, outras menores; algumas ricas, outras muito pobres, mas todas iguais perante Deus. Bem como nenhum bispo tem ascendência sobre outro, mas todos são irmãos e companheiros de jugo. Nenhum exerce autoridade sobre o outro, mas todos estão submissos uns aos outros. Não há chefe nem nas igrejas locais e muito menos sobre toda a igreja católica; o Supremo Chefe é Jesus Cristo.

Ela crê que Deus é um só, porém três Pessoas, conforme podemos ver claramente nas Escrituras: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; todos igualmente eternos, vivendo em comunhão indivisível. Nenhum é maior que outro, mas apenas há uma ordem e atribuições diferentes na criação e redenção, mas sendo todos essencialmente iguais em tudo.

A verdadeira igreja católica e apostólica é fiel às Escrituras e à verdadeira tradição apostólica, e não se mistura com as superstições do paganismo, com as falsas religiões nem com o mundanismo. Ela obedece aos mandamentos que Deus deu por intermédio dos seus profetas e apóstolos. Crê na inspiração plenária e infalibilidade das Escrituras, e que as mesmas estão completas, concluídas, acabadas. E por isso não crê na continuidade ou sucessão apostólica, nem aceita a autoridade de novos apóstolos, novos profetas ou papas com novas revelações depois dos apóstolos que Cristo escolheu pessoalmente.

A verdadeira igreja católica apostólica não aceita o culto, a veneração, a adoração, o respeito nem mesmo a confecção das imagens, pois o Senhor os proibiu terminantemente no Decálogo. Também não aceita o estrambótico ensino da canonização, porque é totalmente desconhecido das escrituras. Vê a canonização tão absurda, blasfema e insultuosa quanto estabelecer um santo como co-intercessor junto a Deus, auxiliando a obra de intercessão do Senhor Jesus Cristo.

Os verdadeiros cristãos não invocam os santos, porque eles são criaturas e, como tais, não têm o poder de ouvir e muito menos de responder às orações a eles enviadas. Só Deus pode ouvir e responder às orações do Seu povo, porque somente Ele e mais ninguém é onisciente, onipresente e onipotente. Esses atributos são incomunicáveis e nenhuma criatura os possui. Estar em todos os lugares ao mesmo tempo, ter a ciência de tudo o que está acontecendo em todos os lugares a um só tempo, e ter todo o poder para agir em todos os lugares são atributos exclusivos do nosso Deus. Por isso a verdadeira igreja cristã católica ora apenas a Deus, por intermédio de Jesus Cristo, como Ele mesmo ensinou.

A verdadeira igreja católica apostólica não é romana, porque:

  1. ela não tem nenhuma sede mundial;
  2. “Católica Apostólica Romana” é uma denominação e a igreja católica apostólica não é uma denominação;
  3. seria paradoxal ser romana e católica (universal);
  4. ela não nasceu em Roma; nasceu em Jerusalém. Mas, de fato, ela tem suas origens desde o Éden.

A igreja católica apostólica não crê no sacrifício da missa e tampouco na transubstanciação, porque o Senhor Jesus Cristo não ensinou isso. Os discípulos de Jesus, obviamente, não comeram Sua carne nem beberam Seu sangue quando Ele instituiu a Ceia naquela noite em que foi traído. E o sacrifício que Jesus Cristo ofereceu de Si mesmo, na cruz, jamais se repete, mas ele é único, com efeitos infinitos e eternos.

A igreja católica apostólica não crê que um homem seja o vigário de Cristo, pois quem foi enviado para liderar a igreja na ausência física de Cristo foi o Espírito Santo – E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós (João 14.16-17).

A igreja católica apostólica não ensina a salvação universal, ou que todos os homens são filhos de Deus. Mas crê que filhos de Deus são apenas aqueles que receberam a Cristo como seu Senhor e Salvador e que vivem em plena obediência a Ele. Também não crê que existe um lugar chamado purgatório para onde as almas irão, a fim de serem melhor purificadas para, então, poderem entrar no céu; um lugar físico, onde almas estão sofrendo, mas que os bispos da igreja têm poder para interceder e impedir que alguns vão para ali após a morte; um lugar de purificação da alma, mas que as pessoas podem, de alguma forma, se safar de lá, ou lá ficar pouco tempo, ou até para tirar algum parente de lá, mediante pagamento ou penitências. Não! A verdadeira igreja católica apostólica crê no sangue de Cristo que purga todos os pecados dos que nEle creem, nEle confiam e a Ele obedecem – Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção (Hb 9.11-12).

A igreja católica apostólica crê na total corrupção de todo gênero humano e que a salvação do homem depende inteiramente da graça de Deus, e que o homem não tem nenhuma justiça pessoal. Nenhum homem jamais pode ser salvo por boas obras, justiça própria ou qualquer mérito que o recomende diante de Deus. Mas todos os salvos são única e exclusivamente por receberem a justiça de Jesus Cristo, a eles imputada gratuitamente, recebida pela fé, mediante arrependimento; ambos dons preciosos da graça de Deus destinados aos eleitos, aqueles que foram escolhidos da terra e dados a Jesus Cristo desde antes da fundação do mundo; aqueles que foram comprados da terra pelo sangue do Cordeiro de Deus.

A igreja católica apostólica respeita Maria como tendo sido a virgem mãe do nosso Senhor Jesus Cristo e, posteriormente, mãe de todos os filhos de José com quem era casada. Não venera Maria de Nazaré como intercessora, corredentora, muito menos como mãe de Deus, mas tão somente a tem como a mãe de Jesus Cristo de Nazaré, nosso Senhor. Jamais os verdadeiros cristãos irão infamar Maria. Tão somente acham ridículo a afirmação de que ela tenha aparecido e se manifestado de diversas maneiras em muitas partes do mundo. Maria está no céu com Jesus Cristo e todos os santos, e nunca enganando e desviando os crentes aqui na terra, após superstições. Maria nunca saiu do céu, nem para ir ao purgatório tirar almas do sofrimento, nem para vir a terra aparecendo aos homens.

Assim, concordo que a única e verdadeira Igreja de Cristo seja a una, santa, igreja católica e apostólica.


Este artigo foi escrito pelo Pr. Nelson Nincao.
Artigo original – Reforma Hoje

You might be interested in